7 pontos para analisar antes de criar um aplicativo

7 pontos para analisar antes de criar um aplicativo

1920 1080 Leonardo Pereira

Os aplicativos nasceram para facilitar a vida dos usuários e, hoje em dia, existe app pra tudo: chamar táxi, pedir comida, lembrar de beber água, encontrar um crush… Enfim! É uma gama enorme de possibilidades dentro do mundo mobile. Porém, muitos leads chegam aqui na Prod com um pensamento abstrato das funcionalidades que o app vai ter. E aí fica a pergunta: o que vem após a ideia? O que devemos considerar antes de criar um aplicativo? É sobre isso que vamos conversar hoje.

O que analisar antes de criar um aplicativo?

Um cliente do ramo farmacêutico nos procurou com uma necessidade muito específica. A empresa queria criar um app para ajudar os médicos a dosarem os medicamentos. Depois de reuniões criativas e brainstormings, criamos um aplicativo em que o médico indica informações sobre o paciente e depois escolhe qual medicamento ele irá prescrever. Apenas com essas indicações, o app fornece uma tela com layout intuitivo e com diversas informações úteis, como as doses a serem receitadas e a minibula do medicamento.

Mas, antes de realizarmos todo esse processo, o cliente precisou analisar uma série de itens que vou detalhar, separadamente, abaixo.

Público-alvo: você precisa descobrir se há, de fato, um público para o seu aplicativo. Vamos supor que você queira criar um app que alerte os brasileiros sobre perigos com furacão. Obviamente, não vai dar certo, pois aqui no Brasil há pouca incidência desse tipo de desastre natural. Entende? Se não há demanda, não vai ter procura. Sem procura, sem downloads.

Objetivo do app: se você não tiver os objetivos bem claros e definidos, seu app corre o risco de ser um fracasso. É preciso entender quais serão as funcionalidades e quais atividades o usuário poderá desenvolver com esse software.

Permissões do app: é essencial, também, entender quais serão os recursos necessários para desenvolver o aplicativo. Exemplos: será preciso acesso à câmera? Aos contatos? Estará disponível para Android e IOS? Será monetizado? Permitirá anúncios? Receberá comandos de voz?

Política de privacidade: esse passo é muito importante, pois será nele onde você descreverá o que fará com os dados dos usuários e o quão seguro é seu aplicativo.

Classificação indicativa: existem seis classificações que vão do “livre” ao “+18”. Saiba mais sobre as classes aqui.

Concorrência: faça uma análise de mercado! Isso é vital para você entender se terá concorrentes ou não. Se tiver, pense em um diferencial, afinal, seu app precisará superar o produto do seu oponente.

Profissionais capacitados: nada melhor do que deixar seu projeto na mão de quem sabe como fazer. Uma agência digital pode desenvolver seu aplicativo com tecnologias de ponta, fazendo você economizar tempo e dinheiro. E, claro, honrar com prazos e ser assertiva quanto ao cronograma de entrega.

Bom, agora que você analisou os sete pontos cruciais, chegou a hora de colocar a mão na massa. Se ainda houver dúvidas, vamos bater um papo! Ficaremos felizes em te ajudar nesse processo. 🙂

1 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *