Posts By :

Marcela Lisbôa

Marcela Lisbôa

Marcela Lisbôa

Lei Geral de Proteção de Dados

LGPD: como regularizar a sua marca

1920 1080 Marcela Lisbôa

A LGPD vai mudar completamente a forma como as pessoas lidam com dados, seja on ou offline. Então, para não ter um impacto negativo, correr risco de penalizações pela lei e garantir a segurança de dados, chegou a hora de entender como validar o manuseio de informações.

Como a legislação divide o público em três categorias (controladores, operadores e titulares de dados), podemos logo pensar em ações específicas para cada um deles, né?! Porém, aqui, vamos focar bastante nas soluções para os controladores e operadores.

Zelar pelos dados

O cuidado com os dados é o principal ponto, tanto para os titulares, como para os operadores e controladores. Afinal, quem manipula as informações precisa ter consciência do quanto elas são sensíveis. Já para os titulares, vale reforçar a importância de conferir a confiabilidade dos locais onde se está disponibilizando dados.

Aderir aos protocolos de segurança conforme a LGPD

Os operadores e controladores devem tomar medidas oficiais de segurança de dados. Assim, é necessário difundir essa cultura dentro de toda a empresa para que o manuseio de informações seja consciente.

Validar dados

Realizar a validação de dados junto aos clientes e colaboradores é uma forma de garantir o consentimento do uso da informação. Vale, por exemplo, usar um pop-up antes do envio de dados no seu site.

Implementar termos de uso e políticas de privacidade

Tornar o seu processamento de dados claro para os titulares garantirá uma proteção diante da manipulação de dados realizada por você. Assim, toda e qualquer forma de captação de dados da sua empresa deve apresentar um comunicado ao público sobre o uso das informações e suas medidas de segurança. Quer um exemplo disso? O campo de contato do seu site deve apresentar uma nota sobre o manuseio de dados.

Adotar o certificado de segurança SSL

O já tão falado SSL também vai fazer diferença na segurança de dados quando o assunto é o seu site. Então, se você ainda não tem o recurso instalado, já passou da hora de regularizar a sua situação.

Essas são algumas das práticas efetivas que fazem parte das nossas orientações para os nossos clientes. Mas, obviamente, uma consultoria jurídica especializada é indispensável para operadores e controladores que lidam massivamente com dados.

Você tem outras dicas de segurança de dados ou medidas já implementadas no seu negócio? Compartilhe com a gente aqui nos comentários para construirmos, juntos, um ambiente mais seguro, principalmente na internet.

Lei Geral de Proteção de Dados

LGPD: o impacto para os negócios

1920 1080 Marcela Lisbôa

Com a aprovação da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) no Brasil, muitas empresas se viram preocupadas com a forma como manuseiam informações não só dos clientes, mas também dos empregados.

Nós já falamos aqui, no Blog da Prod, sobre a importância da LGPD e trouxemos alguns pontos que você precisa saber sobre ela. Mas você já visualizou o impacto que a nova legislação vai gerar para o seu negócio? É o que vamos conversar agora!

Segurança

Com a adoção da lei, os consumidores terão a certeza da segurança de seus dados. Portanto, é possível que isso influencie na confiabilidade entre eles e a sua empresa. Afinal, o fator segurança sempre foi um grande decisor de negócios.

Crescimento de mercado

A LGPD também é uma estratégia política. Muitas nações estão levando em conta as leis sobre proteção de dados na hora de firmar parcerias e relações comerciais. Então, ao adotar a Lei Geral de Proteção de Dados, o Brasil abre novas oportunidades de investimento e avanço.

Recursos humanos

As empresas também detêm as informações dos seus funcionários. Desta forma, será preciso revisar as políticas e permissões internas para formalizar o consentimento dos empregados em fornecer tais informações. Além disso, as empresas também deverão notificá-los à respeito do uso de dados.

Sanções da LGPD

Com duras sanções e multas que podem chegar até 50 milhões de reais, as empresas precisam investir em processos de proteção de dados, ainda mais no ambiente virtual. Caso contrário, correrão o risco das penalizações. O que nos leva ao ponto seguinte.

Vista grossa na manipulação de dados

Se você está acostumado a movimentar dados sem protocolos de segurança, precisará rever sua forma de trabalhar! Com a LGPD, será inaceitável ter operações com métodos duvidosos.

Reformulações

Além dos seus processos internos, todas as suas formas de captação de dados deverão ser reformuladas para estarem em acordo com a lei. Além disso, os seus clientes e funcionários devem ser consultados sobre o uso e dados, o que vai influenciar na sua comunicação.

Nós já estamos trabalhando nas reformulações e nos processos de segurança dos nossos clientes, pois entendemos o quão sensíveis são esses itens.

Para que você também garanta um perfeito cumprimento da lei, consulte profissionais qualificados para te auxiliar na definição de medidas e tomada de ações.

Ah, e se a aplicação da LGPD esbarrar no seu posicionamento digital, deixe um comentário aqui para nós avaliarmos o seu caso.

Veja como a Lei protege seus dados

LGPD: entenda a Lei Geral de Proteção de Dados

1920 1080 Marcela Lisbôa

Você usa seus dados na internet? Sabe o que as empresas fazem com ele? Se você é de uma empresa, como lida com os dados dos seus clientes? A partir de agosto de 2020, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) estará em pleno vigor no Brasil. Sancionada em 14 de agosto de 2018, com prazo de 24 meses para ser adotada por todos, ela é de grande importância para empresas, pessoas físicas e, inclusive, para o país. Afinal, a regularização da internet pode trazer mais investimentos digitais, fomentando o nosso mercado.

A necessidade de uma lei que tornasse o ambiente virtual mais seguro ganhou notoriedade mundial depois do escândalo da Crambridge Analytica, em 2016. A empresa norte-americana acessou dados de usuários do Facebook em um caso que ficou amplamente conhecido.

Mas a caminhada em busca de uma lei para o mundo virtual é antiga. Assim, cada país tem trabalhado na construção de uma legislação eficaz, compreendendo os hábitos e necessidades das empresas e usuários na internet. Porém, a LGPD tem sido considerada uma das mais rigorosas já sancionadas, pois implica em multas exorbitantes no caso de descumprimento da lei.

Como nós entendemos a importância da proteção de dados e também estamos dentro desse cenário, percebemos que precisamos falar sobre isso com você! Vamos lá?

O que eu preciso saber sobre a LGPD?

Quantas vezes bateu aquela insegurança ao se cadastrar em um site ou comprar em uma loja online? Esse medo perseguiu os usuários por muito tempo. Afinal, não havia uma regra clara e definida que garantisse a segurança das informações fornecidas na internet. Mas isso começou a mudar desde 2014, com Marco Civil e sua atenção aos dados compartilhados online no Brasil. Porém, a LGPD vai além, atuando minuciosamente na proteção de dados, desde o uso dos mesmos até a fiscalização.

A legislação é aplicada para todo mundo que fornece e manipula dados. Assim, ela oferece mais segurança às pessoas e garante que as empresas serão mais cuidadosas ao guardarem essas informações. Mas quem é você para a LGPD? A lei traz definições importantes que você precisa entender para posicionar-se de forma clara dentro dela, olha só:

Sou um Controlador?
Os controladores de dados são as empresas que possuem essas informações. Portanto, escolhem como utilizá-las.

Sou um Operador?
Sabe a Prod? Ela é um operadora de dados, pois é responsável por cuidar das informações dos Controladores. Assim também se encaixa, no geral, ferramentas que você pode contratar para utilizar os dados, como as de marketing automation e ads.

Sou um Titular?
Com certeza! Todos somos titulares de dados. Afinal, somos os donos dos dados que entregamos aos controladores.

Agora que você já se identificou na LGPD, precisa ficar atento ao que pode ou não te afetar dentro da lei. Então trouxemos uma lista com algumas informações:

12 principais pontos da LGPD

  1. A Lei engloba toda atividade que usa dados pessoais, inclusive pela internet;
  2. Ela possui uma lista de 10 ações que legitimam o tratamento de dados de titulares por controladores e operadores;
  3. Há também 10 princípios definidos para que controladores e operadores sigam a proteção de dados;
  4. Quem vai garantir o cumprimento da LGPD e fiscalizar é a Autoridade Nacional de Proteção de Dados;
  5. As empresas que não estão em terras tupiniquins também respondem à LGPD;
  6. Os dados considerados sensíveis possuem regras especiais para serem manipulados;
  7. Os titulares têm direito sobre os dados, podendo inclusive cancelar o uso pela empresa que o manipula;
  8. Os controladores e operadores devem enviar notificações obrigatórias aos usuários em caso de incidentes com dados;
  9. Os controladores e operadores precisam fazer um Assessment sobre a proteção de dados;
  10. Também é deles a responsabilidade de fazer um relatório sobre o tratamento de dados;
  11. As empresas que atuam com tratamento de dados devem ter um profissional Encarregado da Proteção de Dados Pessoais;
  12. Empresas que cometerem infrações passarão por sanções, com multas que podem chegar até 50 milhões de reais.

Como deu para perceber, esse assunto é bem extenso e importante. Por isso, também vamos falar dos impactos da LGPD e as ações que você deve tomar para adotá-la desde já. Inclusive, são ações que fazem parte das orientações que damos aos nossos clientes e que praticamos aqui na Prod.

Se você quiser tirar algumas dúvidas sobre a LGPD, deixe seu comentário ou entre em contato com a gente. Estamos empenhados a auxiliar nesse processo e contribuir para um mundo digital mais seguro.

O novo formato de funil de vendas integra duas técnicas de marketing muito utilizadas

Funil de vendas em Y: inbound e outbound

1920 1080 Marcela Lisbôa

A evolução do mercado digital trouxe muitas técnicas inovadoras de vendas que não podem mais ser ignoradas por negócios que querem conquistar novos clientes e crescer. Uma das metodologias mais conhecidas é o funil de vendas que, agora, ganhou uma nova versão: o Funil de Vendas em Y.

Mas antes de falarmos sobre essa nova forma de abordagem, vamos dar um passo para trás. Então vamos relembrar o Funil de Vendas, pode ser?!

Funil de Vendas

Trabalhamos com as etapas do Funil de Vendas dentro do digital utilizando a técnica de Inbound Marketing. Com isso, planejamos estratégias e ações que atraem consumidores e geram interesse pela marca. Assim, separamos o funil em quatro partes: atração, conversão, venda e encantamento. Desta forma, dentro de cada etapa, criamos conteúdos específicos, que incentivam o cliente a caminhar pelo funil.

Veja que essa técnica é indispensável para tornar a sua marca importante para seus potenciais clientes. Ela também contribuir para a sua relevância por meio de contents de qualidade.

Funil de Vendas em Y

Com o Funil de Vendas em Y, nós continuamos trabalhando com o inbound marketing e as mesmas etapas do funil. Porém, acrescentamos uma ramificação, a outra mãozinha do Y: o outbound 2.0.

Neste processo, a empresa fica bem ativa no funil. Afinal, ela não só atrai, mas passa a captar potenciais clientes. Assim, o outro lado do Y vai ganhando forma e etapas diferentes:

Captação: O primeiro passo no Outbound 2.0 é buscar contatos quentes que tenham a ver com o seu PCI (perfil de cliente ideal). Então pense na combinação de BI + comercial + ferramentas digitais para encontrar seus clientes dos sonhos e você saberá exatamente do que estou falando.

Conexão: Depois que já temos os contatos, é hora de estabelecer uma ligação com eles – aqui vale de tudo. E-mails, ligações, redes sociais e por aí vai. Porém, é importante lembrar que nessa etapa você deve estar munido de técnicas de persuasão e gatilhos para dialogar e fazer com que o seu contatinho tenha uma queda por você e queira te conhecer melhor.

Qualificação: Rolou um affair? Então aproveite uma reunião para conhecer melhor o seu contato. Perceba o fit. Entenda se os seus produtos ou serviços se aplicam à ele. Assim, se o contato for qualificado, utilize as suas técnicas de vendas para fechar uma parceria de sucesso.

Onde entra o Y?

Como eu falei, o inbound é uma mãozinha e o outbound 2.0 é a outra. O corpinho é a conexão entre elas. Olha só:

Para essa metodologia funcionar, é preciso criar pontos de encontro entre as duas técnicas. Assim, você fará o seu lead caminhar entre as etapas. Por exemplo: você se conectou com o contato, mas o negócio não virou. Então, nesse caso, ele pode ser direcionado para a nutrição do inbound para continuar com a sua marca na cabeça até estar pronto para se transformar em um cliente.

Essa técnica de prospecção é eficaz tanto para o mercado B2B como B2C. Inclusive, aplicamos aqui na Prod e já estamos com ferramentas e processos bem estruturados e em funcionamento, trazendo novas oportunidades de negócio.

Então, como já temos experiência no assunto, acreditamos que você também pode conquistar bons resultados com essa metodologia. Vale reunir o comercial com o marketing e entender cada etapa do funil em Y para validar a sua operação. Você já sabe, né?! Se precisar de know how, tanto no inbound como no outbound, e de ferramentas que façam acontecer, é só acionar a Prod!

Como você gerencia os canais de contato das suas redes sociais?

SAC nas redes sociais

1920 1080 Marcela Lisbôa

Se você ainda oferece somente o 0800 como forma de atendimento aos seus clientes, está na hora de rever os seus conceitos. Afinal, não dá mais para fugir do mundo digital, pois os consumidores da sua marca estão online. É aí que surge a oportunidade do SAC nas redes sociais.

O avanço da tecnologia transformou as relações entre empresas e clientes. Então, por mais que uma marca tenha o objetivo de manter perfis institucionais nas redes sociais, ela precisa atentar-se aos canais de contato que pode ter com quem mais importa. Aliás, não só aos canais, mas também ao que o seu público está dizendo e compartilhando na rede. Assim, será possível encontrar oportunidades de relacionamento únicas e oferecer um atendimento muito mais personalizado. Como consequência, gerará mais empatia com a marca e clientes mais satisfeitos.

Tudo o que eu estou te dizendo é conhecido como SAC 3.0. Ele é responsável por expandir e transformar a experiência de atendimento ao consumidor. Com este novo conceito, as empresas ganham um papel ativo no relacionamento. Assim, passam a interagir de forma mais eficiente com seu público, conhecendo suas preferências e identificando aberturas de abordagem.

Quer uma dica de onde estão as oportunidades?

Canais de SAC nas redes sociais

Chats, direct messages, publicações, comentários, tweets, vídeos, memes, sticks, stories, avaliações… A lista não para de crescer!

São diversos os pontos de contato que as redes sociais oferecem para as marcas e clientes. Por isso, devem ganhar atenção especial para garantir a eficiência do seu SAC.

Como você pode notar, alguns dos canais que eu citei são específicos de algumas redes sociais, como Twitter e Instagram. Além disso, há formas mais comuns utilizadas pelos clientes, como os chats e directs. Contudo, nenhum canal deve ser excluído do seu plano de atendimento. Ainda mais se você pretende aproveitar oportunidades estratégicas de falar da sua marca ou produto.

Já pensou se a decisão de compra está em uma dúvida que o cliente twittou? Se o seu concorrente for ágil e proativo em responder e você ainda não investir neste modelo de atendimento, terá grandes chances de perder uma conversão.

Mas então eu preciso estar presente em todas as redes sociais?

Nós entendemos que nem todas as marcas têm condições estratégicas de manter perfis em todas as redes sociais. Então o mais importante é identificar onde o seu público está centralizado e focar sua comunicação naquelas redes específicas, fazendo um monitoramento constante dos pontos de contato.

Inclusive, esse é um serviço que faz parte da rotina do marketing digital feito pela Prod. Nós utilizamos ferramentas específicas para realizar o atendimento dos nossos clientes, encantar os usuários e trazer mais resultados para as marcas.

O que você acha de eu te contar algumas das ferramentas que nós conhecemos para otimizar o seu trabalho de SAC nas redes sociais?

Ferramentas para redes sociais

Monitoramento: As ferramentas de monitoramento, como a Agorapulse, Hootsuite e Scup, permitem que você veja e analise em tempo real tudo o que estão falando a respeito de um assunto. Assim, com as regras de monitoramento definidas, você pode identificar oportunidades de interação, críticas ou problemas e atuar de forma rápida. Algumas ferramentas ainda sugerem influenciadores para a sua marca.

Chatbots: Utilize a inteligência artifical para interagir com seus usários. Neste caso, nós construímos trilhas de diálogo para ensiar o bot a conversar com seus clientes.

Integração: Que tal atender em todas as redes sociais, mas de um só lugar? As ferramentas de integração, como a Jivochat, permitem que você receba mensagens de todos os seus perfis em um só lugar. Assim, são ideais para negócios online.

Gestão: Gerenciar seus conteúdos e mensagens de forma prática é muito importante para otimizar o seu atendimento online. Para isso, há desde as próprias ferramentas de gestão das redes sociais, como o Facebook Business, como ferramentas do mercado: mLabs, Postgrain e RD Station Marketing.

Agora que você chegou até aqui, certamente consegue avaliar com mais propriedade como está o seu SAC nas redes sociais. Assim, já sabe qual deve ser seu próximo passa para melhorar o seu relacionamento com o consumidor.

Ficou com aquela curiosidade para conhecer algumas dessas ferramentas? Nós temos parcerias especiais e podemos te ajudar na implementação de um sistema de SAC mais avançado. É só falar com a gente!

Conheça os pontos de atenção para manter seu site atualizado.

Como está a gestão do seu site?

1920 1080 Marcela Lisbôa

Um dos primeiros passos na internet para as empresas tornarem-se relevantes é construir e manter um site. Afinal, ele funciona como o seu cartão de visitas para os usuários e reúne as informações oficiais sobre o seu negócio. Essa informações vão desde de localização física e formas de contato até notícias, fotos e documentos importantes.

Porém, é comum nos depararmos com sites pouco funcionais, sem segurança ou, o pior de tudo: desatualizados! Para facilitar o diagnóstico do seu site, elencamos alguns pontos que indicam se ele está desatualizado:

O site usa tecnologias ultrapassadas

Nos anos 2000 (nem faz tanto tempo assim, vai), não conhecíamos o conceito de um site responsivo, ou seja, que se adapta conforme a tela, porque nossos devices não tinham formatos variados de exibição. Mas hoje em dia… Se você não tem um site responsivo ou uma versão mobile, poderá perder mais da metade das visitas. Então já deu para perceber o impacto que uma única funcionalidade pode causar no seu desempenho, né?!

Além disso, a engenharia por trás da página que você visualiza está em constante atualização e desenvolvimento. Isso implica em melhores resultados, melhor posicionamento nos buscadores, maior velocidade e mais recursos.

Outro ponto importante que não podemos deixar passar são os sistemas integrados ao site. Por exemplo: ninguém merece tentar enviar uma mensagem no campo de contato e abrir o Outlook, certo?! Assim, é preciso manter os seus recursos e sistemas atualizados para aquilo que faça o seu usuário sentir-se em casa, trazendo familiaridade e tornando sua vida mais fácil.

O site não tem informações atuais

Faz sentido manter um campo de notícias no seu site, mas não o atualizar frequentemente? Não faz, né! Esse é apenas um dos casos de informações antigas que podem fazer com que você perca relevância e até confiança para o usuário. Além disso, o ranqueamento nos buscadores também pode cair, já que o conteúdo diz muito sobre a estratégia de SEO.

Mas, mais importante do que notícias e imagens recentes, são as suas informações! Como falei no início, se o site é o seu cartão de entrada, ele precisa necessariamente ter suas principais informações atualizadas. Assim sendo, o endereço, telefone, e-mail, redes sociais, horário de atendimento, catálogo de produtos e serviços e outras informações relevantes precisam estar em dia com aquilo que você realmente pratica na sua empresa.

Vou compartilhar uma visão com você: para mim, é uma catástrofe quando o site oferece uma informação de contato e o Google fornece outra no Meu Negócio. Quase todas as vezes que passei por isso, o Google estava certo e o site não. Com isso, sempre coloco em dúvida a credibilidade daquela empresa que eu estava procurando.

Gestão de site

Seja qual for o ponto, ele prejudica muito o desempenho da sua empresa online e pode atrapalhar seus negócios. Assim, realizar a gestão do seu site é primordial para garantir que a sua presença online será efetiva.

Isso significa atentar-se às tecnologias e informações disponibilizadas ali, garantir que estejam em perfeito funcionamento e realizar modificações ou atualizações sempre que possível ou necessário.

Nós temos uma equipe dedicada exclusivamente a isso para os nossos clientes, onde cases como associações, centros e institutos conseguiram melhorar o engajamento de seus negócios e tornarem-se uma referência. Outro case incrível que temos aqui é o que você está vendo agora: o site e blog da Prod! 😉

Agora que já falamos sobre a importância de manter seu site atualizado, me diz aí: como está a gestão do seu site? Comente sobre as suas dúvidas ou dificuldades, que a nossa equipe te dá um help!

Avance nas vendas e no relacionamento com o seu cliente com um app!

10 motivos para criar um aplicativo para a sua marca

1920 1080 Marcela Lisbôa

É fato: o mundo acontece na palma da nossa mão, nos smartphones. Enquanto milhões de pessoas utilizam dispositivos móveis, muitas oportunidades de impacta-las com a sua marca acontecem e, entre elas, está o uso de um aplicativo.

Olhe ao seu redor para perceber como as pessoas estão conectadas pelo celular. Aliás, uma pesquisa apontou que 43% dos brasileiros utilizam seus smartphones durante todo o dia, desde o momento em que acordam até o momento de dormir.

Não é a toa que encontramos apps para diversas necessidades e nichos de mercado: desde um aplicativo para lembrar os usuários de beber água até uma poderosa ferramenta de gestão financeira. E você, tem o app como um diferencial da sua marca?

Conheça 10 motivos para investir em um aplicativo e avance nas vendas e no relacionamento com o seu cliente!

1 – Smartphone em primeiro lugar

O smartphone é o device mais utilizado pelos brasileiros! De acordo com um estudo da FGV, são 230 milhões de celulares ativos por aqui. Então, não dá para perder todo o público que utiliza os aparelhos, não é mesmo?!

2 – Praticidade do aplicativo

Com o app instalado no smartphone, o usuário acessa o conteúdo desejado rapidamente, sem precisar acessar outros mecanismos. Assim, você facilita as etapas de contato entre ele e o seu negócio e faz com que a tomada de decisões do seu cliente seja muito mais rápida. Temos um case que exemplifica muito bem isso: um de nossos clientes tem um app que conecta pessoas à sua lavanderia e facilita uma tarefa bem comum do dia a dia. Com a praticidade oferecida pelo app, as pessoas tendem a desenvolver o hábito de usá-lo mais vezes sempre que precisarem lavar roupas e quiserem saber o status da sua lavagem.

3 – Relacionamento

O app oferece um canal direto de relacionamento com o seu cliente, onde você não terá barreiras para atingi-lo para transmitir a sua principal mensagem. Além disso, é possível oferecer um atendimento de qualidade por meio das funcionalidades que você disponibilizar no aplicativo.

4 – Aumento das vendas

Já pensou em deixar a sua loja ou catálogo, disponível para o seu cliente a qualquer hora do dia? Com um app, é possível disponibilizar seus produtos com total praticidade para o consumidor que, com um toque, já estará entre eles. Além disso, fora dos mecanismos de buscas, a sua concorrência não terá qualquer visibilidade e, assim, as chances de conversão serão muito maiores.

5 – Notificações

Como somos heavy users dos smartphones, as notificações nunca foram tão eficazes! Então, utilizando a estratégia certa, você impacta seu usuário de forma direta e deixa ele superinformado sobre as suas novidades. O resultado? O objeto da sua notificação receberá mais acessos, que podem desencadear ações lucrativas dos usuários.

6 – Dados

As informações de uso do aplicativo são fundamentais para você conhecer os hábitos e o comportamento do seu cliente. Se você é assinante da Netflix, por exemplo, sabe do que eu estou falando! Com o seu algorítmo, ela usa os dados dos conteúdos assistidos para indicar outras produções semelhantes que possam interessar ao usuário e aumenta o consumo da plataforma. Afinal, com todas as informações, ela entende o que o cliente procura e aprende exatamente o que oferecer à ele. Eu mesma quase não assisto mais filmes ou séries que não estejam na Netflix.

7 – Branding

Investir em um app aumentará a visibilidade da sua marca e fará com que o mercado tenha outra percepção de você, pois mostrará o quanto você está conectado com as tendências. Além disso, o seu negócio fará parte do dia a dia dos usuários, que poderão visualizá-la sempre que utilizarem o smartphone. Ou seja, o reconhecimento da sua marca vai ganhar um boom.

8 – Ações promocionais

O aplicativo abre um leque de oportunidades de ações promocionais para você explorar, desde o uso de notificações com cupons e descontos especiais para os usuários até campanhas diferenciadas e limitadas para quem tem o app. Assim, a concorrência não terá vez.

9 – Fidelidade do cliente

Quanto tempo e recurso você investe na fidelização do seu cliente? O aplicativo vai te auxiliar nessa missão. Afinal, você vai garantir: presença constante, promoções especiais, agilidade e praticidade para o seu cliente.

10 – Custo x benefício

Com todos os pontos que listamos aqui, fica claro que ter um aplicativo é muito relevante para uma marca. Por isso, o investimento terá um rápido retorno e ainda posicionará o negócio com muito mais vantagens em relação à concorrência.

Vale ressaltar também que, após criar um aplicativo, é importante manter sua tecnologia atualizada e inserir novidades sempre que possível para os seus clientes. Além disso, para divulgar o app e atrair usuários, é necessário investir em estratégias de marketing digital eficientes, com campanhas nas redes sociais e nos principais buscadores. Assim, é possível garantir o crescimento e uso constante do aplicativo que consequentemente contribuirão para a sua marca.

Agora eu quero saber de você: qual é o seu app preferido? A sua marca já tem um? Deixe seu comentário que eu vou testar as suas indicações de aplicativo e orientar a sua marca na criação/manutenção do app perfeito.

O público está nas redes sociais, online, consumindo e buscando informações, serviços e produtos.

Você investe nas redes sociais certas?

1920 1080 Marcela Lisbôa

Você já sabe que o brasileiro passa quase 4 horas por dia usando, pelo menos, uma rede social, certo? Pesquisas apontam que o número de usuários de redes sociais aumentou em 7% no último ano, só no Brasil. A pergunta é: você está investindo nas redes sociais certas para o seu negócio? Vamos descobrir!

Conheça as principais redes sociais utilizadas no Brasil para saber em qual delas investir:

Redes sociais para apostar

Facebook: a rede social dominante no mundo. São mais de 2 bilhões de pessoas conectadas por meio dele. Além do grande público, ele é especial por causa da possibilidade de criar uma página para a sua empresa com diversos recursos que te auxiliarão a melhorar os resultados online.

Instagram: 800 milhões de contas ativas. Este é o número de perfis na rede social. No Instagram, os usuários buscam por fotos e vídeos de significado e relevância. Por isso, além de trabalhar o aspecto visual, gerar empatia por meio do seu conteúdo é fundamental. Além disso, você pode explorar os recursos de negócios para impactar seu público da maneira certa.

Twitter: o berço de memes da internet tem mais de 330 milhões de usuários e ganhou destaque no último ano pelo seu crescimento. Além das possibilidades de anúncio, o Twitter permite a utilização de bots e faz uso de hashtags de maneira inteligente para campanhas.

Youtube: a segunda maior rede social do mundo e funciona, até mesmo, como um buscador. Porém, ele permite a publicação apenas de vídeos e este tipo de conteúdo requer maior produção. Para a publicidade, suas formas de anúncio são muito eficientes e podem alavancar uma campanha.

Linkedin: uma rede social voltada para profissionais e, por isso, tem conteúdos mais focados. Em crescimento constante, ele é um excelente canal para você conversar com possíveis colaboradores e encontrar os profissionais ideais para o seu negócio. Há a possibilidade de anúncios se você trabalhar com uma área de interesse do mercado profissional, como estudos e livros, por exemplo.

Pinterest: um grande catálogo de ideias, é assim que o Pinterest se define. Um reduto dos projetos e produtos mais criativos! Por isso, atrai artistas, designers e curiosos que se interessam pela área. Produzir conteúdo para essa rede social, é uma missão que demanda entendimento total de público. Moda, decoração e culinária são os assuntos com maior público e o Brasil está, em número de acessos, no top 5 países. Pensando que 71% dos usuários são mulheres, é saber porque vale a pena investir nessa plataforma.

Vero: criada em 2015, essa é uma rede social ainda desconhecida pelos brasileiros. Porém, vale ficar de olho, porque ela funciona sem algoritmos e está chamando atenção, cada vez mais, dos usuários. Então, vale a pena baixar o app, fazer uma conta e se familiarizar com a plataforma.

Quora: foi lançada em 2009, mas está ganhando força no Brasil. Essa rede social é, basicamente, um lugar para fazer perguntas e tê-las respondidas por qualquer pessoa ao redor do mundo! Pense nessa plataforma como uma oportunidade para divulgar seu serviço ou produto.

Outras plataformas

As redes de conversação também são uma boa aposta para o seu negócio, principalmente para utilizar como ferramenta de CRM. Oferecer canais de comunicação é uma forma de aproximar-se do seu público, garantir um atendimento personalizado e eficaz.

WhatsApp: no Brasil, o WhatsApp é o chat mais utilizado pela população digital. Empresas de inúmeros segmentos já utilizam o app como ferramenta de comunicação com o cliente. E até usam bots para isso. Recentemente falamos sobre o WhatsApp Business, sendo uma excelente opção para quem deseja trabalhar com ele.

Facebook Messenger: o Facebook Messenger acompanha o Whatsapp em número de usuários no mundo. Mas, fica em segundo lugar quando o assunto é a população brasileira. Interligado com a plataforma do Facebook, ele permite que você interaja de maneira privada com os usuários, elabore bots e até faça SAC por meio dele.

Agora você já sabe quais são as redes sociais mais impactantes, inclua ações nessas plataformas para melhorar a sua comunicação! Planeje conteúdos, monitore e analise as informações para adotar estratégias cada vez mais assertivas. Ah, e, se precisar de uma ajudinha, pode contar com a gente! ?

É uma ferramenta inspirada pelo sistema Kanban.

Trello: saiba como gerenciamos nossos projetos

1920 1080 Marcela Lisbôa

Quando a gente trabalha com muita demanda, ter organização e planejamento não é necessário; é PRIMORDIAL.

Afinal, executar um trabalho que passa por vários processos e etapas, está em contato com diferentes profissionais e, às vezes, até se conecta com outras equipes, é uma tarefa que precisa de cuidados especiais. Além disso, também é importante ter um fluxo muito bem definido para não haver ruídos de comunicação e execução.

Mas, como podemos fazer isso? Muitas empresas se organizam com looongas planilhas de Excel ou sistemas offline que demandam tempo da equipe. Porém, aqui na Prod, nós optamos por trabalhar com uma ferramenta de gerenciamento de projetos que se adequasse às nossas necessidades. E foi assim que adotamos o Trello.

Gerenciando projetos com o Trello

O Trello é uma plataforma colaborativa totalmente personalizável, inspirada pelo sistema Kanban, que permite uma perspectiva visual dos projetos para toda a equipe. Com ele, podemos organizar nossos projetos por etapas, usando listas e cards, atribuir tarefas para os membros da equipe, estipular prazos, acompanhar o andamento e muito mais.

Inclusive, por ser uma ferramenta muito visual, intuitiva e leve, tem conquistado alguns clientes da Prod que possuem um painel próprio dentro do nosso Trello para acompanharem suas demandas e interagirem com nossos times, já que podemos compartilhá-lo com outros usuários.

Outro ponto muito positivo do Trello é que ele oferece integração a diversas ferramentas, potencializando o controle do user sobre suas atividades. Por exemplo, nós utilizamos um app atrelado ao Trello para mensurar o tempo dedicado a cada demanda, recebemos no e-mail as notificações da plataforma e conseguimos compartilhar no nosso chat interno os cards da ferramenta. Incrível, né?!

Prod ❤ Trello

Nem precisamos dizer que o nosso relacionamento com o Trello resultou em um casamento perfeito.

Com as funcionalidades da ferramenta, conseguimos uma integração perfeita entre as equipes e os processos, nossos Prothers passaram a trabalhar com mais autonomia, reduzimos o tempo investido no gerenciamento de tarefas, aumentamos a agilidade da produção e elevamos a qualidade do nosso trabalho ao adotar um sistema visual que permite que toda a equipe contribua com a sua perspectiva.

Depois de tudo isso, aposto que você ficou com vontade de conhecer o Trello. Então saiba que ele não é só utilizado por empresas e, com a versão free, você pode adotá-lo para a sua vida pessoal e organizar a sua próxima viagem, a reforma de casa ou as tarefas do dia a dia. Quando testar a ferramenta, vem aqui contar para nós o que achou, combinado? 😉

As buscas por voz são uma tendência

Pesquisa por voz: otimize seu site

1920 1080 Marcela Lisbôa

Você, que tem um celular em mãos, provavelmente conhece – e até já usou – a pesquisa por voz. “Ok, Google” ou “E aí, Siri” são frases que estão fazendo parte das nossas vidas de forma frequente quando queremos fazer uma pesquisa rápida ou encontrar a resposta para uma dúvida.

O número de buscas por voz está crescendo em todo o mundo e chega em 2019 como uma tendência forte do marketing digital. Afinal, os usuários estão mudando a forma como utilizam os buscadores e isso impacta diretamente nos resultados que eles encontram.

Isso acontece porque, quando realizamos uma pesquisa por voz, utilizamos expressões de conversação. Enquanto isso, nas buscas digitadas, costumamos pesquisar por palavras-chave, excluindo elementos textuais.

Olha só esse exemplo simples: Digamos que eu queira me planejar para o Natal. Rapidamente, posso perguntar ao Google em uma pesquisa por voz: “Quando é o Natal?”. Mas, se eu for digitar, provavelmente irei cortar algumas palavras e apenas buscar por “Natal 2018”. Em ambas as buscas, o Google me mostrou em qual dia da semana será o Natal. Porém, nos resultados da pesquisa, os links encontrados foram diferentes. Faça o teste aí!

Essa variação na pesquisa também pode impactar a forma como o seu negócio é encontrado. Porém, você pode lidar com isso de forma estratégica, por meio de técnicas e ferramentas, e garantir que mais pessoas cheguem até você. Inclusive, temos três dicas para você começar:

Use SEO e otimize para pesquisas por voz

Otimizar o seu site é primordial. Afinal, como você viu no exemplo, não basta ter palavra-chave quando se trata de busca por voz. Então, apostar em um texto consistente faz toda a diferença.

Outro fator para considerar no seu SEO é que as pesquisas por voz tendem a apresentar perguntas nas frases. Logo, conhecer as perguntas do seu segmento e oferecer respostas para elas pode melhorar o seu ranqueamento. Quer mais uma dica? Utilize a ferramenta Answer the Public para descobrir as perguntas. Nas nossas estratégias de marketing da Prod, sempre consultamos essa ferramenta para identificarmos possíveis caminhos para o nosso trabalho.

É importante lembrar também que o código do site é parte integrante do seu SEO. Por isso, mantenha-o limpo, organizado e estruturado para os mecanismos de busca.

Esteja no Google Meu Negócio

O Internet Trends Report de 2016 apontou que 22% das pesquisas por voz eram relacionadas a conteúdo local.

Então, ao tratarmos de proximidade, não há melhor maneira de aparecer no Google do que utilizando o Google Meu Negócio. Afinal, ele exibe todas as informações mais relevantes do seu negócio para que o usuário entre em contato ou visite o seu estabelecimento. Mas é importante que a sua conta esteja perfeitamente configurada e, assim, apareça como resultado das buscas certas.

Tenha um site responsivo

Uma vez que grande parte das buscas por voz são realizadas por mobile, é imprescindível que o seu site seja responsivo. Além disso, o Google considera como fator de ranqueamento o quesito mobile friendly.

O que você achou das estratégias que apresentamos? A Forbes apontou um dado da ComScore que prevê que, até 2020, cerca de 50% das buscas serão realizadas por voz. Ou seja, está mais do que na hora de pensar e trabalhar com esse tipo de pesquisa.

Nós já demos algumas dicas de como começar, mas, se você quiser mais detalhes, que tal entrar em contato com a gente? Com certeza ainda falaremos bastante sobre essa tendência!