Marketing

O inbound marketing tem 4 etapas: atração, conversão, vendas e encantamento.

Inbound marketing e o poder de um bom conteúdo

1920 1080 Marcela Lisbôa

O inbound marketing está cada vez mais presente no ambiente digital. Aliás, pode ser que até você já tenha sido conquistado por uma marca com essa estratégia.

Também conhecido como marketing de atração, o inbound marketing engloba as estratégias utilizadas para atrair a atenção do público. Assim, elas são divididas em quatros etapas: atração, conversão, vendas e encantamento.

Com esse processo, as chances de obter sucesso com uma campanha são muito maiores e nós vamos explicar os motivos:

Os benefícios do inbound marketing para a sua campanha

Com a produção constante de conteúdo direcionado para um target certo, o inbound marketing faz a sua marca alcançar um público maior e mais qualificado. Isso porque o conteúdo é segmentado para quem possui interesse exatamente no que você é expert. Ou seja, fica mais fácil convencer o seu público quando o conteúdo oferece os estímulos certos para que ele chegue até a conversão.

Além disso, o conteúdo especializado poderá auxiliar na criação de um relacionamento com a sua persona. Desta forma, ela passa a dar credibilidade ao seu conteúdo e oferecer uma atenção preciosa à marca.

Quando você planeja os conteúdos da sua estratégia inbound, a sua persona também pode caminhar mais rápido pelo funil de vendas. Além disso, ela converte mais cedo e, com isso, diminui o custo de aquisição do cliente que você tem.

Como utilizar o inbound marketing

Vamos considerar as quatros etapas citadas anteriormente para saber como aplicar o inbound à sua marca.

Para atrair o público certo para o seu site, é necessário oferecer conteúdos úteis e relevantes para a persona. Assim, será possível conquistar visitantes frequentes. Então, vale trabalhar com SEO e blog, por exemplo. As redes sociais também não ficam de fora. Afinal, o E-commerce Trends 2017 mostra que cerca de 70% dos consumidores encontram e-commerces por meio delas.

O nosso blog pode ser um bom exemplo disso! Nossos conteúdos são relevantes para as personas da Prod. E, com nossas atualizações frequentes, fazemos com que os usuários estejam sempre em nosso blog. Assim, consequentemente, a marca Prodweb é uma referência em assuntos digitais.

Depois de fidelizar seus visitantes com um bom conteúdo, é hora de convertê-los em leads qualificados e criar oportunidades de venda. Desta forma, é possível utilizar landing pages, e-mail marketing e desenvolver um excelente CTA.

Porém, é importante não deixar de oferecer conteúdos para os leads, pois será nutrindo-os que você perceberá quem alcançou o momento certo de ser direcionado para a compra. Essa parte da estratégia pode incluir desde e-mails personalizados até reuniões.

Engana-se quem acredita que o processo acabou, pois o diferencial do inbound marketing está também nesta fase: a do encantamento. Afinal, este é o momento de fidelizar o cliente ao ponto dele promover a marca e atrair mais pessoas como ele. E isso só acontecerá se a experiência dele for positiva. Então invista em ferramentas como newsletter.

Para os nossos clientes, nós sempre enviamos um e-mail nurturing com os melhores conteúdos do blog, para que eles conheçam as possibilidades do mercado e os demais serviços que oferecemos. Desta forma, quando precisarem de algo novo, eles saberão que podem contar com a gente.

Aliás, se você também precisar de uma ajudinha com o inbound marketing da sua marca, marque uma conversa com a nossa equipe! Afinal, da mesma forma que desenvolvemos o inbound da Prod de uma maneira planejada, dinâmica e eficiente, também poderemos desenvolver para você!

É comprovado pelo Google que 86% dos usuários pesquisam pelo celular antes de comprar um produto ou serviço.

Adwords: saiba como anunciar no Google

1920 1080 Marcela Lisbôa

Pesquisar no Google já virou até verbo: Googlar. Afinal, o buscador é referência número um em pesquisas para os usuários. Isso porque nós paramos tudo o que estamos fazendo para obter uma informação. Ainda mais quando estamos com um smartphone na mão e temos a ajuda do Google, seja para saber, fazer ou comprar algo ou ir a algum lugar. Aliás, é comprovado pelo Google que 86% dos usuários pesquisam pelo celular antes de comprar um produto ou serviço. O impacto das buscas é enorme para os negócios, pois torna possível fazer com que uma empresa, marca ou produto seja um resultado relevante de uma pesquisa. Para isso, contamos com o Google Adwords, a principal plataforma online de anúncios.

Mas, como ele funciona?

O Adwords permite que as empresas anunciem de diferentes maneiras dentro do Google: em forma de pesquisas, rede display, anúncios de vídeo e até na aba “Shopping” do Google. Além disso, a plataforma oferece ao anunciante o controle total de suas campanhas de anúncio e também realiza a mensuração dos resultados com relatórios completos. E o melhor de tudo é que a campanha pode ser totalmente segmentada.

A segmentação acontece pelas preferências do usuário, histórico de pesquisas, dados e palavras-chave que são definidas como foco da campanha e buscadas pelo público. Assim, o anunciante garante que atingirá as pessoas certas.

Outro fator muito relevante no sucesso do Adwords para as empresas é a sua forma de cobrança. Os anunciantes pagam a plataforma pelo CPC, ou seja, pelo Custo por Clique. Então, isso significa que as empresas pagam por resultados e têm a certeza de o que o investimento obteve retorno.

Como criar uma campanha em Adwords

Quando você começa a criação da campanha, precisa definir as palavras-chave que orientarão o seu anúncio. Além disso, elas também farão a precificação da sua campanha, pois uma palavra mais disputada acaba sendo mais cara. Mas, se a palavra está disputada, isso significa que tenho concorrentes? Sim!

Desta forma, o Google Adwords funciona com um leilão de palavras-chave, onde cada anunciante interessado em uma mesma palavra faz um lance com o valor que pode pagar por ela. Porém, não é simplesmente o valor mais alto que ganha o melhor ranqueamento.

Além do leilão, o Adwords também considera a qualidade dos anúncios que compreende, principalmente, o CTR, a relevância do anúncio e a experiência da página de destino. Assim, a posição média de um anúncio é definida pelo CPC x o índice de qualidade.

A estrutura do anúncio

Os anúncios do Google possuem uma estrutura. Portanto, é necessário conhecê-lo bem para criar um ads que seja efetivo. No criativo do anúncio, é definido:

  • Título 1: É o texto de maior destaque do anúncio. Ele pode ter, no máximo, 30 caracteres.
  • Título 2: Complementa o 1 e é separado dele apenas com um hífen. Ele também conta com até 30 caracteres.
  • Descrição: Ela conta com até 80 caracteres.
  • Caminho: Aqui, utiliza-se uma URL curta e mais amigável.
  • URL final: Essa será a URL verdadeira do seu anúncio, ou seja, para onde o usuário será encaminhado.

Nós costumamos trabalhar constantemente com anúncios search e rede display, conforme as necessidades dos nossos clientes. Para isso, fazemos um bom planejamento estratégico, definimos as palavras-chave e acompanhamos de perto o desempenho da campanha a fim de extrair os melhores resultados em cada anúncio. Assim, estamos certificados pelo Google Partner para entregar ads realmente eficazes.

Conhecer o funcionamento do Adwords é essencial para ter certeza de que os anúncios serão bem aplicados à sua marca. Se você não possuir o domínio da plataforma, procure ajuda profissional. Afinal, um bom anúncio pode alavancar suas vendas, mas um anúncio péssimo pode prejudicar a sua marca de inúmeras maneiras.

O mais importante é não ficar de fora dos anúncios do Google e garantir as melhores posições nas pesquisas dos usuários. Assim, a sua marca conquistará vantagem no mercado, terá mais chances de atrair consumidores qualificados e será uma das primeiras, se não a primeira, opção do seu público na hora de encontrar uma resposta.

Crie assuntos de e-mail marketing impossíveis de ignorar!

1920 1080 Marcela Lisbôa

Recentemente falamos sobre a importância de utilizar e-mail marketing em sua estratégia digital. Como o tema é cheio de detalhes, separamos algumas dicas úteis para a criação de assuntos de e-mail marketing. Afinal, os assuntos são o primeiro contato das suas mensagens com seu cliente. Desta forma, ao trabalhar os pontos a seguir, você poderá conquistar a atenção do seu público logo de cara. Além disso, garantirá também mais sucesso na sua campanha ao aumentar a taxa de abertura de e-mails.

Elabore o assunto de e-mail marketing com tempo

Pensar, escolher as palavras certas, certificar-se de que o assunto tem relação com a mensagem. Tudo isso demanda tempo. Então, se você deixar para criar os assuntos às pressas, eles podem não sair como deveriam.

Relacione os assuntos com as mensagens

É muito importante que o seu assunto seja verdadeiro e esteja relacionado ao conteúdo. Por isso, não utilize termos convincentes apenas para gerar cliques se eles não fizerem parte da sua campanha.

Realize testes de assuntos

Os testes são essenciais para você identificar quais abordagens fazem mais sucesso com a sua lista. Então elabore dois assuntos e, de preferência, utilize elementos diferentes neles. Depois, observe os resultados. Assim, você poderá produzir com mais eficiência nos próximos e-mails e garantir um melhor impacto.

Desperte o interesse do seu público

Você provavelmente conhece algumas características da sua lista. Então use isso ao seu favor na hora de criar os assuntos. Assim, você poderá usar termos capazes de despertar o interesse e a curiosidade do seu público.

Seja relevante

Da mesma maneira que no item anterior, para ser relevante você precisa saber com quem está falando. Desta forma, certifique-se de que o assunto vai ser importante para a sua lista. Além disso, mostre que o seu e-mail pode fazer diferença na vida do seu público.

Seja breve: Menos é mais

Tenha em mente que seu e-mail marketing será visualizado em diferentes dispositivos. Por isso, o assunto deve servir para todos os tamanhos de tela. Aliás, as plataformas Resultados Digitais e a Dinamize recomendam que o assunto tenha entre 20 e 41 caracteres. Porém, se você acha pouco, pode começar com uma frase mais longa e depois ir cortando ou substituindo as palavras por sinônimos menores.

Use um snippet

O snippet, ou pre-header, pode complementar o assunto do seu e-mail e oferecer mais detalhes para ajudar a convencer o usuário a clicar no seu e-mkt. Isso acontece porque ele aparece logo depois do assunto.

Tenha senso de urgência

Mensagens que trazem um tom de urgência no assunto instigam o usuário a clicar no e-mail, pois aceleram a tomada de decisão. Aqui, você pode trabalhar o sentido de escassez, prazo ou oportunidade única.

Não seja comercial

É importante que você evite termos comerciais demais. Afinal, muitos sistemas de e-mails podem validar tais termos como spam e dificultar que o usuário receba e leia a sua mensagem.

Aposte na criatividade

Fale com o seu público de uma maneira inovadora. Assim, se o tema da sua campanha permitir, vale fazer brincadeiras, trocadilhos e até desafiar o usuário. Além disso, você também pode se apropriar de alguns elementos para incrementar a ideia criativa:

  • Emojis: Os emojis são expressivos, conduzem a uma interpretação mais facilmente e geram mais interação.
  • Números: Colocar números no seu assunto adiciona peso à mensagem.
  • Personalização: Tornar o e-mail pessoal melhora a taxa de abertura, pois você está conversando diretamente com aquele usuário. Então, vale usar os dados cadastrais ou mesmo os hábitos de compra dele para realizar a personalização.
  • Perguntas: Fazer questionamentos adiciona um sentido de conversação ao seu e-mail, além de despertar a curiosidade do usuário que quer saber a resposta da pergunta.
  • Palavras-chave: Definir termos que têm relação com a sua marca ou campanha podem ajudar a elaborar um assunto criativo e funcional.

Nós procuramos sempre aplicar essas técnicas aos e-mails que criamos, aproveitando cada oportunidade que o conteúdo da mensagem oferece de criatividade. Porém, é claro que não utilizamos tudo de uma só vez, pois, como falamos, menos é mais.

Há ainda muitas técnicas que podem ser usadas na criação de um e-mail marketing. Afinal, ele não se resume só ao assunto, apesar deste ser de extrema importância. Então continue acompanhando o nosso blog, pois traremos novos conteúdos sobre como produzir e-mail marketing. E, enquanto isso, treine as técnicas apresentadas aqui para criar assuntos cada vez mais convincentes e bombar a sua estratégia digital.

O e-mail marketing é uma das ferramentas pioneiras do marketing digital.

Você tem uma nova mensagem: E-mail marketing

1920 1080 Marcela Lisbôa

Se você acessar o seu e-mail neste momento, provavelmente verá um e-mail marketing entre as mensagens recentes. A continuidade da ferramenta se dá por gerar conversões e manter a interação com o usuário, diferente das redes sociais.

Inclusive, o e-mail marketing é uma das ferramentas pioneiras do marketing digital. Ele está presente em todas as etapas do relacionamento com o cliente. Um pesquisa realizada pela RockContent, em 2017, apontou que 77,2% das empresas brasileiras adotam a estratégia de e-mail marketing. Deste número, 57% utilizam para desenvolver e nutrir relacionamento com os clientes.

Mas, afinal, o que é e-mail marketing? É a junção do correio eletrônico com as técnicas de marketing. E, mais do que um spam ou uma promoção, ele é capaz de gerar leads, gerar um ROI positivo e até fortalecer a sua marca. Essa combinação de e-mail + marketing deu certo por vários motivos. Quer ver só?

O e-mail marketing te dá visibilidade

Redes sociais, plataformas e sites que oferecem login utilizam o e-mail como forma de acesso. Além disso, os smartphones também possuem uma conta de e-mail vinculada e o usuário terá que utilizar este recurso com certa frequência. E, se você estiver na caixa de entrada dele, ganhará a sua atenção.

Você pode classificar o seu público

Ao solicitar as informações das pessoas interessadas em receber o seu conteúdo, por exemplo, você pode pedir dados relevantes. Assim, você poderá segmentar seu público por idade, profissão, localização e outros dados. Desta forma, poderá trabalhar de forma pontual com cada tipo de persona.

A ferramenta oferece custo x benefício

Enviar e-mails não custa caro. Além disso, o retorno pode ser muito positivo se a sua campanha for bem estruturada.

Você garante maior interação do usuários

Cliques, visitas, views e respostas serão gerados com mais facilidade por meio do e-mail marketing. Afinal, você está falando diretamente com o cliente, com um canal de vida útil muito maior do que as redes sociais, por exemplo.

Mas, para garantir que a sua campanha de e-mkt te entregue tudo isso, você precisa estruturá-la bem. E, neste sentido, algumas dicas são muito preciosas. Então nós decidimos elencar um top10 de passos que você não pode deixar de seguir na sua campanha de e-mkt:

10 dicas para trabalhar com e-mail marketing

1. Defina o seu objetivo

Tenha em mente o que você deseja com o e-mkt que enviará. Assim, você definirá com clareza os passos para alcançar seu objetivo.

2. Construa a sua lista de destinatários

É importante que a sua lista seja qualificada para o tipo de e-mail que pretende enviar. Então, quando capturar o e-mail dos usuários, certifique-se de ter também outras informações relevantes para o seu negócio.

3. Defina a sua plataforma de envio dos e-mails

Para enviar e-mails em larga escala e com qualidade, é necessário contar com uma boa plataforma de envio. Resultados Digitais e Mailchimp são dois exemplos de ferramentas que podem ser úteis nessa hora. Na Prod, nós também utilizamos a Dinamize.

4. Escolha temas para abordar

Planeje o conteúdo do seu e-mail marketing e defina se ele será uma newsletter, um e-mail promocional ou um transacional. Pode ser útil trabalhar com um cronograma, identificando oportunidades do mercado.

5. Crie um template ou layout simples, leve e responsivo

O design do seu e-mkt conta muito! Então, não se esqueça de verificar a compatibilidade dele com os diversos leitores de e-mail e dispositivos. Ele tem que ser responsivo.

6. Elabore um assunto de e-mail incrível e chamativo

O assunto é a porta de entrada no seu e-mail. Por isso ele precisa ser convincente e atrativo. Assim, você pode utilizar imperativos para estimular ações e perguntas para gerar curiosidade. Além disso, pode trabalhar também o nome de cada usuário para criar pessoalidade.

7. Utilize um texto simples e objetivo

Quanto mais clara for a sua mensagem, melhor será para a sua marca. Afinal, os usuários não querem “perder tempo” com enrolação.

8. Não se esqueça do call-to-action

Chamar o usuário para uma ação é fundamental para melhorar os seus resultados. Assim, você dará estímulos para que ele aja como você deseja.

9. Monitore a eficácia do seu e-mail

Muitas das plataformas de envio oferecem métricas de e-mkt para você entender como está a sua campanha. Porém, atente-se aos dados mais relevantes para o seu objetivo. Por exemplo, se você busca conversões para o site, a taxa de cliques pode ser importante.

10. Tenha continuidade na sua ação e envie outros e-mails para a sua lista

É importante manter uma periodicidade de envios, para ajudar na conversão e manter seu relacionamento com o cliente. Assim, você pode planejar e-mails complementares, ofertas especiais para aqueles que já interagiram pelo e-mail anterior e caminhar com o usuário pelo funil de vendas.

Essas etapas são essenciais para o sucesso de um e-mkt e nós não deixamos de planejá-las para os nossos clientes. Quando trabalhamos com email marketing para o Mira Serra, por exemplo, ofertamos experiências incríveis no hotel. Por isso, nos certificamos de caminhar com os usuários até a conversão, com uma sequência de e-mails atraentes.

Vale ressaltar que qualquer tipo de negócio pode trabalhar com e-mkt, seja para desenvolver a marca ou divulgar promoções. Basta seguir esses passos de sucesso para garantir que a sua lista alcance o objetivo da campanha. Invista nessa poderosa ferramenta de marketing digital e aprimore a sua estratégia online.

O público está nas redes sociais, online, consumindo e buscando informações, serviços e produtos.

Você investe nas redes sociais certas?

1920 1080 Marcela Lisbôa

O assunto de hoje está presente nas nossas vidas mais do que você imagina. Sim, estamos falando das redes sociais. Afinal, nós, brasileiros, passamos quase 4 horas por dia usando pelo menos uma rede social, de acordo com a pesquisa Digital in 2018. Isso compreende ⅙ do nosso dia. É muito tempo, considerando que, em 24 horas, cumprimos tarefas vitais, como dormir, e de importância social, como estudar ou trabalhar.

Antes de começarmos, te convido a uma reflexão: Você sabe me dizer quantas vezes você acessou alguma rede social hoje? Quantas vezes abriu o Whatsapp para responder a uma mensagem? Ou se recebeu uma notificação do Instagram e clicou nela? Talvez você até chegou à este texto por meio do Facebook, não é mesmo?

A mesma pesquisa mostrou que o número de usuários de redes sociais aumentou em 7% no último ano, só no Brasil. Ou seja, o crescimento e o impacto delas na vida cotidiana é uma realidade e as empresas precisam acompanha-la. Afinal, o público está ali, online, consumindo e buscando informações, serviços e produtos.

Você está investindo na sua marca nas mídias sociais? Mais do que estar presente, é preciso impactar o seu público. Já que, da mesma forma que é grande a presença das pessoas, é grande também a presença de empresas e a concorrência neste cenário.

Conheça as principais redes sociais utilizadas no Brasil para saber em qual delas investir:

Redes sociais para apostar

Facebook: O Facebook é a rede social dominante no mundo. São mais de 2 bilhões de pessoas conectadas por meio dele. Além do grande público, o que o torna especial para você é a possibilidade de criar uma página para a sua empresa com diversos recursos que te auxiliarão a melhorar os resultados online.

Instagram: 800 milhões de contas ativas. Este é o número de perfis na rede social. No Instagram, os usuários buscam por fotos e vídeos de significado e relevância. Por isso, além de trabalhar o aspecto visual, gerar empatia por meio do seu conteúdo é fundamental. Além disso, você pode explorar os recursos de negócios para impactar seu público da maneira certa.

Twitter: O berço de memes da internet tem mais de 330 milhões de usuários e ganhou destaque no último ano pelo seu crescimento. Além das possibilidades de anúncio, o Twitter permite a utilização de bots e faz uso de hashtags de maneira inteligente para campanhas.

Youtube: O Youtube é a segunda maior rede social do mundo e funciona, até mesmo, como um buscador. Porém, ele permite a publicação apenas de vídeos e este tipo de conteúdo requer maior produção. Para a publicidade, suas formas de anúncio são muito eficientes e podem alavancar uma campanha.

Linkedin: O Linkedin é uma rede social voltada para profissionais e, por isso, tem conteúdos mais focados. Em crescimento constante, ele é um excelente canal para você conversar com possíveis colaboradores e encontrar os profissionais ideais para o seu negócio. Há a possibilidade de anúncios se você trabalhar com uma área de interesse do mercado profissional, como estudos e livros, por exemplo.

Outras plataformas

As redes de conversação também são uma boa aposta para o seu negócio, principalmente para utilizar como ferramenta de CRM. Oferecer canais de comunicação é uma forma de aproximar-se do seu público, garantir um atendimento personalizado e eficaz.

WhatsApp: No Brasil, o WhatsApp é o chat mais utilizado pela população digital. Empresas de inúmeros segmentos já utilizam o app como ferramenta de comunicação com o cliente. E até usam bots para isso. Recentemente falamos sobre o WhatsApp Business, sendo uma excelente opção para quem deseja trabalhar com ele.

Facebook Messenger: O Facebook Messenger acompanha o Whatsapp em número de usuários no mundo. Mas fica em segundo lugar quando o assunto é a população brasileira. Interligado com a plataforma do Facebook, ele permite que você interaja de maneira privada com os usuários, elabore bots e até faça SAC por meio dele.

Etapas de trabalho

É claro que escolher as mídias sociais para utilizar é só uma das muitas etapas do trabalho de gerenciamento. Afinal, produzir o conteúdo certo, no local certo, para as pessoas certas é uma tarefa complexa, que demanda:

Diagnóstico: Este trabalho é importante para entendermos como o cliente e o mercado estão posicionados nas redes sociais atualmente. Além disso, vale também para colher inspirações para as criações. No mais, ainda podemos analisar o comportamento dos usuários com as demais marcas. Aqui na Prod, realizamos constantemente este estudo de mercado.

Planejamento: Como já falamos antes, é essencial planejar. Nesta etapa, definimos as ações que serão adotadas, a periodicidade, o budget, o público que desejamos alcançar, entre outras coisas. Aliás, podemos utilizar o conhecimento adquirido no bench. Assim, é possível organizar-se, seguir as tendências do mercado e evitar falhas. Por isso nós sempre entregamos o planejamento para o cliente com antecedência, além de podermos contar também com a aprovação dele.

Monitoramento: Aqui, ficamos de olho em tudo o que rola nos perfis. E não estamos falando somente de comentários, compartilhamentos e curtidas. Afinal, há uma infinidade de métricas que podemos analisar conforme o foco da campanha. Assim, se o resultado não está saindo conforme o esperado, podemos mudar alguns aspectos da ação, por exemplo. Para monitorar, nós trabalhamos com softwares especializados em cada necessidade do trabalho.

Análise de dados: É o momento de aprofundar o entendimento dos dados que as mídias sociais oferecem. Isso porque, diferente da mídia offline, na mídia online tudo pode ser mensurado e analisado com precisão. Então, além de contar com a base de informações das próprias plataformas, é possível também utilizar outras ferramentas de mensuração. Aliás, nossa equipe conta com diversas plataforma de análise, que fazem um trabalho rápido e seguro. Desta forma, poderemos analisar se estamos no caminho certo e quais ações deram mais resultados. E, assim, melhorar a comunicação com o público por meio das redes sociais.  

Agora você já sabe quais são as redes sociais mais impactantes e as principais etapas para se trabalhar com elas. Então inclua ações nessas plataformas para melhorar a sua comunicação! Planeje conteúdos, monitore e analise as informações para adotar estratégias cada vez mais assertivas. Ah, e, se precisar de uma ajudinha, pode contar com a gente! 😉

Quando um usuário pesquisa em um buscador e é direcionado para o seu site, é possível que ele visite primeiramente a sua landing page.

Landing page e SEO para o seu negócio

1920 1080 Marcela Lisbôa

Imagine só: você e sua empresa estão caminhando no marketing digital. Já criaram um planejamento, contas nas redes sociais e até um site. Porém, ainda não sabem o que é landing page ou como utilizá-la. Essa situação é semelhante para você? Então é hora de dar mais um passo nas suas estratégias de comunicação!

Continue essa leitura e aprenda a importância das landing pages para a sua marca.

O que é landing page?

A landing page é uma página de destino, ou seja, é uma página de entrada no site. Quando um usuário pesquisa em um buscador e é direcionado para o seu site, é possível que ele visite primeiramente a sua landing page.

Mas, mais do que isso, a landing page é utilizada como uma página de conversão. É por meio dela que você poderá capturar leads. Com isso, trabalhará com um público muito mais qualificado para a sua marca.

Para filtrar seus leads, a landing page precisa ter objetivo e proposta claras. Geralmente, ela oferece duas opções: cadastrar-se e receber algum benefício ou não se cadastrar e não ter acesso. O benefício pode vir de inúmeras formas: brindes, download de arquivos, acesso trial, aulas gratuitas e muito mais.

Para otimizar os resultados de uma landing page, é importante pensar no layout, no conteúdo e no SEO.

Elementos de uma landing page

As informações precisam ser claras na sua LP e um layout leve e responsivo ajuda nessa questão. Sem contar que, dessa forma, ela carregará rapidamente para o usuário.

É importante contar com elementos visuais que complementam a sua mensagem, deixando-a ainda mais clara e objetiva. Outra opção é trabalhar com um vídeo, na busca de reter a atenção do público. Você deve ter em mente que pode oferecer um conteúdo rico, sem necessariamente utilizar download.

Além disso, detalhes como pixel de rastreamento e conversão, agradecimento e copyright aprimoram o desempenho da sua LP.

Entretanto, alguns dos elementos mais importantes são: o call to action, o formulário e o SEO da sua Landing Page.

O CTA precisa levar o usuário para a conversão e o formulário deve oferecer um preenchimento prático. Assim, considere incluir o preenchimento automático. Você também deve contar com campos obrigatórios para classificar a sua persona. A quantidade de campos também influencia: Uma pesquisa da ResultadosDigitais diz que reduzir o número de campos no formulário de 11 para 4 pode aumentar as conversões em até 120%.

Já o SEO, é responsável por alavancar a sua LP organicamente. Afinal, é por meio dos buscadores que os usuários encontram o que desejam, no momento em que mais precisam. E, trabalhando o SEO, você garantirá um bom rankeamento para atingi-los.

SEO em landing pages

Para começar, você precisa definir uma palavra-chave. Ela deve ser atrativa e estar relacionada ao benefício que você irá oferecer. Deste modo, evite termos genéricos, pois o ranqueamento é mais competitivo e você pode não conseguir uma boa posição nos buscadores.

Crie um snippet de qualidade para a sua LP. O Snippet é uma frase curta e objetiva sobre a página. As partes mais importantes do snippet são: título da página, URL e meta description.

Lembre-se de trabalhar a sua palavra-chave ao longo do snippet. A URL, por exemplo, deve ser amigável: nada de usar .com.br/KSJUUCNKAHZKAJ.

O SEO também vale para o conteúdo. Trabalhe a palavra-chave no título e pelo menos uma vez no seu texto.

Essa melhoria é ainda mais relevante para a sua LP se ela possuir uma grande vida útil. Isto é, se ela ficar disponível por um longo período ou sem período determinado, o que é mais recomendado. Assim, você aproveita a long tail das buscas pela palavra-chave e captura os usuários em um espaço de tempo maior.

Case Prod

Para ficar mais fácil de entender tudo isso, vamos te mostrar um dos nossos projetos. Para gerar leads para a Prod, nós utilizamos LP em uma jornada. Primeiro, trabalhamos com uma landing page básica, pensando no acesso mobile, e com poucos elementos, para diminuirmos as chances de desistência de preenchimento do formulário. Então, usamos uma chamada impactante: “Descubra como está o relacionamento da sua empresa com o cliente!” Ao abrir a LP, o usuário poderia preencher o formulário e acessar um quiz. Veja que o conteúdo não fazia uso de download, mas oferecia valor ao usuário por meio do entendimento adquirido. O quiz também foi entregue em uma LP, permitindo-nos enxergar a eficácia do conteúdo. Em ambas as páginas, trabalhamos o SEO de forma a aumentar o potencial da jornada.

Como deu para perceber, você precisa conhecer as técnicas de SEO para aplicá-la à sua landing page. Caso você não tenha muita experiência ou desconheça o assunto, é interessante contar com a ajuda de um especialista. Assim, você garante que a sua LP seja otimizada e converta organicamente, gerando mais leads e beneficiando a sua marca.

O que vale é não deixar de utilizar este poderoso recurso digital. As landing pages são capazes de te entregar dados fundamentais dos seus futuros clientes. Assim, permitirá que você invista em um bom relacionamento com eles para dar continuidade ao processo de vendas.

Sabe aquela situação que imaginamos lá no início deste texto? Vamos dar um novo rumo à ela. Pense em uma ação pontual, planeje e projete a sua LP para receber leads ideais para o seu negócio e impulsionar a sua presença e o seu reconhecimento digital.

Novo recurso permite criar vitrine

Loja no Instagram: Novo recurso permite criar vitrine

1920 1080 Marcela Lisbôa

Mais uma mudança no mundo digital promete transformar a nossa relação com o consumidor. Desta vez, a inovação ficou por conta do Instagram.

A rede social disponibilizou um novo recurso para perfis comerciais. Agora é possível marcar produtos em publicações orgânicas, com links que levam o usuário até a loja online. E não é só isso! Estes perfis também podem habilitar a guia de compras, que reúne todos as fotos de produtos e cria uma verdadeira vitrine para a marca.

A ferramenta, que chegou ao Brasil em março de 2018, passou um ano em fase de teste nos Estados Unidos. Para o Instagram, “o recurso de Compras no Instagram está cada vez mais sendo usado para se conectar com os clientes de forma nova e imersiva, tornando as compras menos transacionais e mais práticas”.

Com mais de 800 milhões de contas ativas no Instagram, sendo que 80% delas seguem pelo menos uma empresa na rede social, os novos recursos oferecem oportunidades não somente para as marcas, mas também para as pessoas que buscam praticidade na hora da compra.

Ficou curioso para entender como funciona? A gente explica:

O primeiro passo é verificar se a sua conta do Instagram é uma conta comercial. A rede social possui alguns critérios  para que a conta seja aprovada e utilize o recurso de compras. Verifique também se você utiliza a versão atualizada do aplicativo do Instagram.

Depois disso, é só entrar nas configurações, selecionar a opção “Compras” e conectar um catálogo de produtos à sua conta comercial.

Marcando produtos nas publicações

Sabe quando você posta uma foto e marca algum amigo nela? Marcar um produto funciona do mesmo jeito:

  1. Selecione uma foto e adicione uma legenda, efeitos e filtros;
  2. Toque nos produtos que você deseja marcar na foto;
  3. Digite os nomes dos produtos que você deseja marcar e selecione-os quando aparecerem na caixa de pesquisa;
  4. Toque em Concluir;
  5. Toque em Compartilhar.

Você também pode marcar produtos em publicações antigas, basta editá-las.

Atenção!
Cada publicação pode ter, no máximo, cinco produtos marcados. Já as publicações em carrossel têm o limite de 20 marcações.

O Instagram também separou algumas dicas para você usar o recurso Shopping:

  1. Crie pelo menos nove publicações de compras em seu perfil comercial do Instagram para ativar a guia Comprar para o público;
  2. Marque vários produtos para ajudar seu público a explorar e navegar;
  3. Use o Stories para mostrar ao público que agora é possível comprar nas publicações;
  4. Aproveite diferentes formatos de compra: Marque uma única imagem ou um carrossel;
  5. Certifique-se de que as marcações estejam em contato com os produtos corretos, para que os consumidores saibam a qual produto se refere a marcação.

E aí, gostou da novidade? Esta é mais uma maneira inovadora de divulgar a sua marca, atuar no Instagram e garantir que os seus produtos estejam a um toque do consumidor.

Faça um teste da nova ferramenta e nos conte os resultados. Queremos saber qual foi a sua experiência!

Conheça as 4 fases em que seu cliente pode estar

Confira as 4 fases da Jornada de Compra

1920 1080 Maisa Cavalcanti

Você já fez uma Jornada de Compra para acompanhar em qual estágio comercial o seu lead está?

Ela é uma das principais técnicas utilizadas para descobrir quais são as suas necessidades e acompanhar de perto cada uma das fases até transformá-lo em cliente.

É fundamental que a empresa crie uma estratégia de vendas bem estruturada para atrair cada vez mais personas interessadas em comprar seu produto ou serviço.


Nesse texto vamos listar as 4 fases da Jornada de Compra. Fique ligado, pois você vai encontrar muitas dicas valiosas que podem ser facilmente aplicadas à sua empresa.

Fase 1 – Aprendizado e descoberta

No início da Jornada, o lead ainda não sabe que tem um problema ou uma necessidade de consumo. Está apenas buscando informações mais gerais que podem ajudá-lo no dia a dia.

Com a evolução do universo digital, ele provavelmente vai pesquisar no Google ou em qualquer outro buscador.

Se a sua empresa está presente nas redes sociais, tem um site e blog atualizados, ele pode se interessar pelo que você tem a oferecer.

Aliás, já falamos em um post anterior que o blog é uma das formas mais eficientes de conseguir aumentar sua visibilidade. A Prod utiliza essa estratégia e dá muito certo!

Para conseguir o contato e saber mais informações sobre o que ele quer, disponibilize conteúdos para ele baixar. E-books, por exemplo, são uma boa ideia!  

Fase 2 – Reconhecimento do problema

É nessa fase que ele começa a se conscientizar do problema e faz uma pesquisa mais detalhadamente sobre as possíveis soluções.

Então, é interessante ofertar materiais cada vez mais específicos sobre os seus serviços, para que ele comece a ver uma boa oportunidade de negócio.

Sabe o que também seria interessante? Levar ele até uma Landing Page para fazer um Quiz. Por meio das respostas, dá para conhecê-lo ainda melhor e disponibilizar mais conteúdos sobre o que ele realmente quer.

Fase 3 – Consideração da solução

Ele já sabe qual é a sua dor e percebeu que você oferece uma solução interessante. Só que são tantas as opções que ainda não decidiu qual é a melhor alternativa.

É agora que você deve mostrar os diferenciais em relação aos concorrentes.

Envie um e-mail marketing com os cases de sucesso, citando aqueles clientes que estão muito satisfeitos com o seu trabalho. Mostre como a sua empresa os ajudou a atingir objetivos traçados.

Fase 4 – Avaliação/Decisão de compra

Chegamos à etapa final, o momento chave de todo o processo! Ele toma a decisão e a compra pode acontecer.

É aqui que você precisa encantar e fazer ele perceber que a sua empresa é a melhor escolha!

O comportamento desse possível cliente ou lead é avaliado em cada uma das fases para qualificá-lo. Após essas 4 etapas da Jornada, se ele escolheu fazer negócios com a sua empresa, então começa o Funil de Marketing ou de Vendas.

O que achou? Parece simples e rápido, mas é um processo muito detalhado. Ele requer atenção em cada uma das etapas para ir conquistando esse lead aos poucos e criar uma necessidade de compra.

Tudo isso vai ajudar a sua equipe comercial a ter resultados muito melhores. Eles já sabem exatamente que tipo de cliente está lidando e quais os argumentos que devem utilizar.

Então, o que está esperando para começar a estruturar a sua Jornada de Compras do Cliente?

Você já pensou em criar um blog para a sua marca e utilizá-lo como uma ferramenta de marketing digital?

5 razões para criar um blog para a sua empresa

1920 1080 Maisa Cavalcanti

Você já pensou em criar um blog para a sua marca e utilizá-lo como uma ferramenta de marketing digital?

Um dos objetivos do marketing de conteúdo é falar sobre assuntos relevantes para a sua persona e gerar mais negócios para a empresa. É exatamente aqui que ele pode se tornar muito interessante e mostrar todo o potencial do seu negócio.

Selecionamos 5 razões para você criar um blog já! Vamos à elas?

Aumentar o reconhecimento da marca

Escrever sobre o produto, a marca ou algo relacionado ao campo de atuação da sua empresa faz com que potenciais clientes comecem a ver você como alguém que sabe o que está falando, dando mais credibilidade e ajudando a construir uma boa reputação. Com isso, o interesse sobre a sua marca cresce e as vendas podem aumentar.

Gerar e qualificar leads

Os leads são consumidores potenciais que demonstraram interesse no seu produto ou serviço em algum momento. Por meio do blog, você pode tanto atrair quanto qualificar esses leads. Dá para saber exatamente o seu interesse pelos textos que ele lê, comentários que deixa na página ou conteúdos que baixa. É também uma ótima forma de criar um relacionamento com eles, por possibilitar essa interação constante.

Facilitar o processo de venda

Uma das possibilidades do blog é a de educar o seu lead em relação ao problema que ele tem e que às vezes nem sabe, mostrando de forma indireta que você oferece a melhor solução.

Dá uma olhada nos nossos posts. É isso que fazemos aqui no Blog da Prod, pois muitos deles estão relacionados aos problemas que a nossa persona pode ter e que queremos ajudá-la a resolver.

Sem contar que o blog está dentro do nosso site, então, se ele quiser saber mais sobre algum serviço, encontrará facilmente a informação que procura.

Impulsionar os compartilhamentos

Atualmente é muito comum as pessoas compartilharem os conteúdos que acham interessantes nas redes sociais. Então, se você escreve algo relevante e de qualidade, elas vão compartilhar. Isso gera uma maior visibilidade para a empresa, sem necessariamente investir algum dinheiro nisso.

A Prod divulga todos os seus conteúdos do blog no Facebook e muitos dos acessos e compartilhamentos ocorrem por esse motivo.

Melhorar o posicionamento no Google

Se você quer realmente melhorar o seu posicionamento nos buscadores, deve fazer publicações frequentes. Isso faz com que sua empresa tenha muito mais páginas indexadas no Google do que um site comum. Isso pode trazer muito mais visitas para o seu site e, consequentemente, mais vendas.

Pode falar, ficou com vontade de fazer um blog agora mesmo, não ficou?

Se quiser seguir com essa estratégia, tome cuidado para não deixar o seu conteúdo muito comercial. Não basta produzir posts falando apenas sobre a marca ou seus produtos.

Já ouviu falar da Regra 80/20? Leia o que produzimos sobre isso, pois é muito importante!

Resumindo: Quando há uma nítida intenção de vender e não de realmente entender seu público, o engajamento pode ser menor.

Fica a dica! 🙂

Facebook muda o feed para mostrar mais posts de amigos

1920 1080 Maisa Cavalcanti

O Facebook anunciou, no início de 2018, uma mudança importante na forma como os feeds de notícia são exibidos.

O algoritmo foi alterado e agora priorizará as publicações de amigos e família ao invés de marcas e empresas.

Aliás, Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, falou sobre a mudança. “O feedback da nossa comunidade informou que conteúdos públicos, como publicações de empresas, marcas e mídia, têm tirado o espaço de publicações pessoais”. Ele ainda disse que essas publicações “nos fazem conectar mais uns com os outros”.

Essa decisão busca tentar conectar mais os usuários e ter mais interações, como comentários, compartilhamentos e mensagens, retomando o objetivo inicial do Facebook.

Com a quantidade de posts de marcas, publishers e, inclusive, fake news, as publicações dos familiares e amigos tinham pouco destaque.

Por isso, os usuários rolam o feed sem prestar muita atenção, indo para o próximo post em pouquíssimos segundos. O Facebook quer reverter isso, fazendo com que o usuário diminua essa velocidade. 

Bem-estar dentro do Facebook

Outro objetivo dessa mudança, de acordo com Zuckerberg, é ajudar os usuários a melhorarem o seu bem-estar.

Foi constatado, em algumas pesquisas, que usar as redes sociais para interagir com pessoas que gostamos pode ser muito positivoIsso faz as pessoas se sentirem mais conectadas e menos sozinhas. Em compensação, ler artigos passivamente ou assistir a vídeos pode não ser tão bom assim.

Claro que as publicações de empresas e publishes continuarão aparecendo, mas em menor quantidade. Porém, o usuário pode alterar suas preferências e selecionar para receber mais publicações das suas páginas favoritas.

Mudanças para o mercado

Com essas mudanças, as empresas precisam se adequar e mudar algumas estratégias. Uma opção interessante é fazer parcerias com influenciadores digitais.

O próprio chefe de News Feed do Facebook, Adam Mosseri, disse que as postagens de influenciadores que gerarem conversas entre os seus seguidores, irão aparecer mais no feed.

Mais uma estratégia que pode ser muito bem utilizada é o vídeo nativo, aquele postado dentro do próprio Facebook.

O que vocês acharam dessas mudanças? Sentiram mudanças significativas em suas páginas do Facebook?