Motion Graphics: entretenimento e valor para seu público!

Motion Graphics: entretenimento e valor para seu público!

2003 1080 Roberto Silva

O comportamento dos usuários em relação às mídias mudou muito no decorrer dos anos, os vídeos são um bom exemplo disso. Eles cresceram exponencialmente, ocupando novos lugares e, hoje, são instrumentos de estudo, propagandas, reviews de produtos, modelos de cartas, notícias, convites de eventos, ou seja, são adaptáveis para as mais diversas vertentes.

Segundo dados divulgados pela Rock Content, 90% das pessoas acreditam que vídeos ajudam a decidir uma compra, o YouTube se tornou o 2º maior buscador da internet e 83% dos consumidores consideram compartilhar um vídeo criado por uma marca. Esse aumento considerável faz com que esse tipo de comunicação seja uma necessidade básica para uma estratégia digital de sucesso. Por que não utilizar na sua?

Para introduzir essa estratégia, os vídeos em Motion Graphics são ótimas opções, porque além de serem totalmente personalizáveis, eles também são uma opção financeiramente viável e com bom retorno quando aplicados no marketing digital. Aqui na Prod, utilizamos esses vídeos para inúmeros clientes, eles têm funcionado muito bem e os retornos são sempre positivos.

A efetividade fica ainda mais evidente quando se considera a Teoria dos Dois Canais, que diz que, ao transmitir informações por meio de dois canais – áudio e vídeo – as pessoas têm mais atenção ao que é passado, memorizam mais e dão mais relevância. O que podemos tirar dessa afirmação? Os vídeos agregam valor à sua marca!

Mas as opções são diversas, por isso, conhecer melhor os formatos e também o meio de produzi-los pode ser uma boa maneira de entender qual se encaixa melhor à sua estratégia. Continue a leitura e entenda mais sobre essa opção de vídeo que pode ser uma ótima aliada para o seu planejamento de marketing.

O que é Motion Graphics?

Também conhecido como Motion Design, traduzido como videografismo, é um formato de vídeo que tem como um dos principais objetivos explicar ideias de forma fácil, visualmente atrativa, fluida e dinâmica.

Ele junta movimento, rotação, dimensionamento de imagem, vídeo, texto e trilha sonora, usando prioritariamente formas geométricas, ícones e ilustrações. Resumindo, o Motion Graphics dá vida ao design gráfico.

Os tipos mais utilizados são 3D, 2D, Flat Design, Whiteboard Animation (transmissão de ideias, conteúdos e até histórias em um ambiente de aprendizado) e infantil. Entretanto, esses modelos não são os únicos, os vídeos Motion Graphics são muito amplos, tanto em formatos, quanto em opções de aplicação para o marketing, indo desde um convite até um estudo científico. Ou seja, é possível adaptá-los para o seu nicho e alcançar bons resultados para a sua marca.

Mas por onde começar?

São muitas possibilidades de formatos, ideias e técnicas. Mas com um bom papo entre cliente e agência é possível criar a melhor solução.

    • Passo 1: alinhamento do briefing com o cliente para ter uma produção bem direcionada;
    • Passo 2: roteiro do vídeo, storyline, com o passo a passo de todo o processo criativo do vídeo, a descrição das passagens, textos e tudo que foi pensado para produção. É a parte escrita da história, em que são colocadas em linhas resumidas todas as ideias pensadas;
    • Passo 3: o storyboard, o roteiro em formato visual, são as peças que vão ser animadas, é o momento em que é definida a identidade visual, cores, estilo de animação, gráficos, personagens e posicionamento de câmeras. Como o processo de animação é longo, o storyboard facilita a visualização do projeto pelo cliente. É uma boa estratégia para que a aprovação seja feita antes e a produção do vídeo seja mais ágil;
    • Passo 4: após a aprovação do storyboard, é feita a animação de todas as telas;
    • Passo 5: renderização do vídeo, processo que junta todas as partes de criação em uma única peça.

Quer ver todo esse processo na prática? Então dá uma olhada aqui no nosso canal do Youtube, temos vários vídeos em que essa técnica foi utilizada.

Quais as ferramentas mais recomendadas para fazer o vídeo em Motion Graphics?

Você pode me dizer “beleza, entendi como estruturar, mas que ferramentas vocês usam para produzir os vídeos?” Vamos lá:

O processo de produção de vídeo passa por várias ferramentas, são elas: Word ou Google Docs para storyline; Illustrator e/ou Photoshop para o storyboard; After Effects para animação do vídeo ou o Premiere, caso o processo exija um tratamento mais apurado e, por fim, para renderizar o vídeo, o Media Encoder.
Sim, as ferramentas são essenciais para a produção, mas para que o vídeo cause aquele efeito UAU atingindo o seu público do jeito certo, ele precisa ser feito por quem tem expertise no assunto. Por isso, é importante contar com uma agência digital.

Conheça três das várias técnicas que usamos, do básico ao avançado, para que o vídeo em Motion Graphics solucione o problema do nosso cliente.

3 técnicas de Motion Graphics para o After Effects:

  1. Editor gráfico de animação: define a qualidade do seu projeto. A ferramenta do After Effects que vai tornar o espaço entre um frame e outro mais próximo à realidade. Essencial para trazer mais veracidade para a animação, tirando aquele efeito totalmente mecânico.
  2. Composição: um dos mais pontuais, é a parte responsável por alinhar o lugar de cada objeto criado, no vídeo, utilizando as linhas, os grids proporcionais, réguas e a margem de segurança. É a definição do foco colocado para direcionar para onde o consumidor do seu vídeo orientará o olhar. Atenção máxima precisa ser dada a essa parte, porque as margens ajudam a visualização do vídeo, para que ele seja visto por completo em qualquer dispositivo, sem perder a qualidade.
  3. Códigos para animação (expressões): códigos que podem ser adicionados dentro do projeto (e que fazem toda diferença nele) para que, por exemplo, um efeito aplicado possa ser reproduzido para vários ícones diferentes, sem precisar fazer um por um, somente colocando o mesmo código de ação. Muito útil para vídeos mais longos e complexos, consegue potencializar o trabalho de criação, além de deixá-lo ainda melhor.

Claro que essas técnicas só são algumas básicas para que o vídeo seja bem estruturado e tenha um resultado final satisfatório. Mas a gente sabe que só isso não basta, por isso, o nosso time de designers usa inúmeras técnicas avançadas e adaptadas de acordo com a realidade de cada cliente para entregar sempre uma excelente solução digital.

Dica do especialista:

O Motion Graphics é um tipo de vídeo que pode acrescentar muito valor à sua estratégia de marketing, eles conseguem engajar mais nas redes sociais, são dinâmicos e prendem a atenção. Por isso, ao optar por ele, é importante pensar na experiência do usuário.

O roteiro criado precisa ser fluido, com ideias conectadas e claras. É preciso dar a sensação que o tempo assistindo o vídeo foi rápido, mas necessário. E, claro, que a mensagem foi passada com clareza. É isso que você precisa buscar para atingir o seu público ideal, muito além de somente uma produção bonita.

Lembrando que um vídeo só tem o efeito UAU se, além de ter um visual legal, ele também for impactante, bem feito, seguir a essência do cliente e passar a ideia que ele deseja entregar.
Um bom vídeo é mais do que só uma entrega feita dentro do prazo, ele precisa ser coerente com o briefing e com o consumidor final, deixar sua marca e impressionar.

Só se causa esse impacto com quem sabe fazer, com experiência de mercado, com clientes satisfeitos. Quer encantar? Converse com a gente, conte com o Jeito Prod de Ser.

Quer saber mais sobre nosso jeito de encantar?

Estamos sempre abertos para falar mais sobre o assunto e entregar a um cliente um vídeo incrível. Clique no botão abaixo e conheça o Jeito Prod de entregar soluções digitais. Você vai se impressionar.

Compartilhe nas redes sociais