Tendências

Já divulgamos um texto em que falamos das tendências para 2020 sobre a gestão de pessoas e processos. Mas, claro, não poderíamos deixar de falar sobre as tendências para as operações de marketing digital. Vamos nessa?

Especial 2020: 5 tendências para operações de mkt digital

1920 1080 Leonardo Pereira

Já divulgamos um texto em que falamos das tendências para 2020 sobre a gestão de pessoas e processos. Mas, claro, não poderíamos deixar de falar sobre as tendências para as operações de marketing digital. Vamos nessa?

Tendências para marketing digital

Seja na RD Summit, livros, artigos ou acompanhando Top Voices do LinkedIn, já é possível sacar quais tendências irão (me perdoe o trocadilho rs) pipocar para operações de marketing digital em 2020. É essencial ficar alerta e, ao longo do texto, faça um teste de autoconsciência: você está preparado para o que está vindo por aí?

5 tendências que estão ganhando força

1: Analytics
Ferramentas para analisar, como o Google Analytics, nunca foi tão essencial! Você acompanha o tráfego do seu site? Analisa as páginas mais acessadas? Tira insights dos resultados obtidos? Se não, é melhor começar a repensar o uso dessa ferramenta tão poderosa. Com o aumento da tendência de business intelligence, ou seja, muita análise para decisões assertivas, softwares de análise estão ganhando, cada vez mais, uma posição de destaque nas operações de marketing digital. Isso porque eles apresentam dados concretos sobre o desempenho do movimento das pessoas no seu site.

2: Integração de ferramentas
Quer otimizar tempo? Faça a integração das suas ferramentas, sejam elas de criação (como as ferramentas Adobe que hoje são completamente integradas) ou de gestão de projetos e mídias (Trello, Harvest, Clockify, RDstation, Salesforce, mLabs e outras). O ideal é que tudo funcione com automação, em que o sistema saiba que determinadas ações devem encadear outras em diferentes ferramentas. Se tempo é dinheiro, integrar suas ferramentas pode dar um ganho no tempo gasto em demandas.

3: Explore o LinkedIn
Você pode me falar: “Léo, o LinkedIn é uma tendência faz tempo, né?”. Sim, claro. O LinkedIn está em foco nas mídias há algum tempo. Entretanto, o jeito de usá-lo está se adaptando. Observando o crescente aumento da presença de CEOs e diretores na plataforma, devido à força que os Top Voices estão ganhando, comece a repensar o uso de Ads, ou seja, mídias de performance para atrair contatos de lá. Claro, se fizer sentido para a sua persona.

4: Audio Marketing
Tenho certeza que você ouviu ao menos 1 podcast ao longo do ano. Eles estão com tudo! Mas é claro que o Audio Marketing não se limita a isso. Cada vez mais estamos vendo a disseminação de Cortanas, Siris e Alexas que são acionadas por comando de voz. Para quem achou que o rádio sumiria, aí está: tudo se adapta. Seja no formato de audiobooks, podcasts, mídias sonoras, audiogramas… Edney Interney, Diretor Acadêmico da Digital House Brasil, já deu o papo na RD Summit: se até então estávamos na era dos likes (que está em declínio, certo?), entraremos na era da voz. Que tal começar a olhar para esse mercado?

5: Humanização
Humanize o marketing da sua empresa! Coloque o rosto das pessoas, conte histórias e inspire sua audiência com bons hábitos. Compartilhe seu produto sem ser invasivo buscando um olhar humano daquela situação. Pessoas se identificam com pessoas, não com máquinas. Claro, não deixe de explorar todos os lados da rede social. Mas a questão aqui é levar humanidade para cada publicação e, assim, entregar mais do que um simples conteúdo.

Se durante seu teste de autoconsciência você detectou falhas na sua operação de marketing digital, vamos trocar uma ideia! Temos várias soluções para integrar nossos clientes com as novidades do mercado.

2019 decolou com força e cumpriu seu objetivo com sucesso. 2020 chega com novos ares e tendências ganhando novas óticas, recheado de possibilidades para o universo da gestão de pessoas e empresas.

Especial 2020: 6 tendências para gestão empresarial

1920 1080 Leonardo Pereira

2019 decolou com força e cumpriu seu objetivo com sucesso. 2020 chega com novos ares e tendências ganhando novas óticas, recheado de possibilidades para o universo da gestão de pessoas e empresas.

Tendências para o mercado de gestão

São inúmeras as formas de buscar tendências mercadológicas. Nós decidimos unir os insights que tivemos assistindo às inúmeras palestras da RD Summit com as informações dos artigos e estudos mais recentes da área.

Assim, conseguimos ter uma visão bacana do que ganhará espaço no mercado de gestão em 2020. De pessoas a gerenciamento de processos, há conceitos ganhando ainda mais força para esse novo ciclo. Bora descobrir?

6 tendências para ficar de olho

1: GPTW
Ter o selo Great Place to Work (GPTW) é um diferencial, claro. Porém, é preciso focar na felicidade individual dos colaboradores. Uma maneira de aumentar esse índice é com ações de GiftWork. Esse conceito nada mais é do que proporcionar experiências únicas e inesperadas para a pessoa em questão. Por exemplo: alguns Prothers são Flamenguistas doidos. O Dani, nosso CEO, levou-os para assistir a uma partida com o Maraca lotado. Algo tão simples que, para eles, significou o mundo!

2: Cultura organizacional
Aposto que você sabe o que é cultura organizacional, certo? Mas, a partir de 2020, você precisa repensar TUDO o que você aprendeu sobre esse conceito. Mais do que nunca, os ambientes de uma empresa precisam ser acolhedores e inspiradores. Salas fechadas, ambientes escuros, falta de estrutura e tantos outros pontos que desanimam qualquer um precisam ser urgentemente revistos. Sem felicidade no local de trabalho, todo o seu esforço para criar uma cultura de família será em vão.

3: Business Intelligence ou BI
Você já deve ter lido esse termo por aí. Questões de análise agora estão em outro patamar, afinal todas as decisões precisam, mais do que nunca, ser baseadas em resultados prévios. Que tal ter uma pessoa específica para isso? Novos movimentos, sucesso do cliente e estratégias, tudo precisa ser fundamentado em dados. Ao trilhar esse caminho, suas chances de assertividade aumentarão muito!

4: Growth
Você quer aumentar seus resultados? Então comece a pensar nas diferentes habilidades do seu time e em como aplicá-las em conjunto. Ao unir peças diferentes que se encaixam, é possível aproveitar melhor a capacidade de cada um. Para, assim, otimizar os resultados e, consequentemente, aumentar as possibilidades de melhoria nas rotinas e trabalhos. Reveja as posições atuais dentro do seu time, é possível otimizar processos movendo algumas peças? Se sim, faça!

5: Somos humanos
Algo ficou bem claro sobre os insights acima: somos todos humanos! Pessoas falham, aprendem, desenvolvem e mudam suas concepções sobre tudo. A atriz Denise Fraga, que se apresentou como uma “investigadora de humanos” na palestra da RD Summit, citou sobre este momento atual em que vivemos o pior de nós mesmos, porque atualmente temos medo de ser gentis e acabar sofrendo algum tipo de “abuso”. Não deixe que esse pensamento se alastre na sua empresa. Promova a gentileza entre os colaboradores, os gerentes e os diretores.

6: Liderança e sucessão
Por último, é importante pensar sobre a formação de sucessores para os atuais líderes. Identifique talentos e explore aqueles que precisam de um empurrãozinho para expressar esse lado de comandante. Essa prática é vital para criar sucessão dos atuais mentores, treinar seus colaboradores e, assim, criar um caminho em que todos possam vislumbrar uma carreira de sucesso.

Deu pra perceber que o futuro é logo ali, certo? Não dá mais para ter uma mentalidade antiga sobre relacionamento entre empresas e clientes, ou empresas e colaboradores. O maior capital de uma empresa são as pessoas e é preciso ter isso em mente para decidir qual caminho trilhar.

Estamos sempre ligados nas tendências e já trabalhamos nesses pontos faz algum tempo – ações que culminaram no selo de Great Place to Work, que ganhamos no início de novembro. Se você precisar de um help pra colocar essas tendências em prática, que tal marcarmos uma conversa?

Os chatbots entregam soluções e experiências com bom nível de personalização sem ter que ampliar seu quadro humano de atendimento e com constante coleta de dados e aprendizado.

Chatbot: Simplifique o atendimento ao cliente

1920 1080 Daniel Monteiro

Chatbots estão na moda! Nunca viu um deles por aí? Ah, com certeza já viu e já usou! São charmosos, inteligentes e resolvem parte dos nossos problemas quando fazemos contato com a NET (resolvem?!), Oi, Vivo ou tantas outras empresas e serviços.

Pois é! São a onda do momento e não é para menos. Aliás, já comentamos isso em nosso post das tendências para 2018. Comm um atendimento virtualizado e inteligente, as empresas conseguem ampliar de forma exponencial seu relacionamento com o consumidor, entregando soluções e experiências com bom nível de personalização sem ter que ampliar seu quadro humano de atendimento e com constante coleta de dados e aprendizado.

A ideia é fazer com que o chatbot se pareça com o atendimento humano. Ou melhor, que seja um ser humano (lembra do Teste de Turing?). Assim, a interação dos usuários é absolutamente natural. Afinal, essa é a maior capacidade desses bots: entender a linguagem natural do ser humano e processá-la diante de contextos identificáveis.

Aqui na Prod, estamos em processo de validação de um chatbot para atendimento usando IBM Watson Conversation.

O processo de criação de um chatbot

Criar um chatbot é bastante divertido e desafiante. Segmentar entidades e intenções, construir trilhas de diálogos que exigem bastante análise de uma base de ocorrências prévias, bem como um ótimo entendimento das personas e de suas jornadas de relacionamento com os serviços e marca do nosso cliente. Porém, sempre lembrando de fazer muitos, muitos testes!

Com o protótipo montado, partimos para a fase de validações, e é aqui que estamos, reproduzindo de forma incremental para que o robô de atendimento aprenda sobre o mundo de dados que nosso cliente possui. É claro que esse processo vai ser contínuo e se estender mesmo depois da sua publicação. Isso é fundamental para a evolução do produto.  

Existem aplicações diversas para essa tecnologia, não apenas atendimento. Aliás, temos um campo aberto e ainda relativamente novo com inteligência artificial e machine learning. Estamos só no começo, mas num processo muito rápido de evolução e refinamento de soluções que tendem a diminuir ou mesmo extinguir a barreira entre o virtual e real.

Aguardem os próximos passos… Falaremos em breve!